sexta-feira, dezembro 23, 2005

V. Guimarães, 0 - FC Porto, 2

:: Cromo Repetido :: Vitória em Guimarães

O FC Porto continua em boa forma a nível interno, somando uma vitória na deslocação a Guimarães com o mesmo 11 dos jogos anteriores.

Quaresma desequilibrou na primeira parte com um grande remate em arco, não tendo voltado para o segundo tempo por se ter ressentido de um toque do seu musculado marcador Svärd.

A história do segundo tempo resume-se à tentativa de ataque por parte do Guimarães e à resposta em contra-ataque do Porto. Jorginho falharia de forma incrível 0 0-2, ao escorregar (ou atrapalhar-se) de baliza aberta e com muito tempo após ter fintado o guarda-redes; mas o mesmo brasileiro marcaria no minuto seguinte o golo da (relativa) tranquilidade.

O Porto falhou depois diversas vezes o 0-3, nomeadamente por McCarthy e Lisandro López, com o Guimarães a enviar uma bola ao poste de permeio.

O Guimarães reclamou demora na permissão do árbitro para a reentrada em campo de um seu jogador no lance do 0-2, algo que não posso avaliar. Parece-me que o penalty reclamado pelo conjunto da casa na primeira parte sobre Benachour não tem razão de ser, uma vez que é o atacante que tropeça em César Peixoto, que nada faz para o derrubar numa altura em que Baía está já a recolher a bola.

Por outro lado, no início da segunda parte, Diego é puxado na área por Flávio Meireles sem que o árbitro assinalasse penalty; o puxão parece bastante ligeiro, mas tal como disse no jogo de Leiria no sentido oposto, é o tipo de falta que a meio-campo seria tipicamente assinalada. Realce ainda para dualidade de critérios nos amarelos na fase inicial do jogo, com dois cartões poupados a jogadores do Guimarães que viriam a ver cartão mais tarde, enquanto Pedro Emanuel viu amarelo por protestos só para servir de exemplo -- os jogadores do Guimarães protestaram bem mais todo o jogo e nunca saiu algum amarelo por isso.

Referência negativa para os adeptos do Guimarães, que mais uma vez voltaram ao seu desporto favorito do arremesso de cadeiras para o relvado, e para o lançamento de um petardo por parte da claque portista.

Por outras paragens, a vitória (justa) do Benfica em Setúbal no último minuto parece-me conseguida num lance em que Nuno Gomes ajeita a bola com o braço. Mas depois de ter ouvido vários benfiquistas afirmarem a legalidade do golo da vitória perante o Nacional, já nem discuto mais "fraudes"...

- 99 - Vítor Baía [7] - Seguro.
- 3- Ricardo Costa [6] - Regular.
- 21 - César Peixoto [5] - Perdeu demasiadas bolas em zonas recuadas, e embora tenha tido alguns bons cortes, manifestou dificuldades defensivas.
- 4 - Pedro Emanuel [7] - Boa exibição a comandar a defesa em jogo exigente.
- 14 - Pepe [8] - Muito disponível e empenhado, com capacidade física para tudo, e desta vez com decisões acertadas na sua maioria. Perdeu apenas um lance para o perigoso Saganowski, que atirou ao poste.
- 18 - Paulo Assunção [8] - Anulou Benachour, o melhor jogador do Guimarães, e ainda teve tempo para ganhar muitos outros lances com um ritmo imenso.
- 8 - Lucho González [8] - No seu próprio ritmo, mais lento, mas muito certo, defendeu com inteligência e teve vários passes muito bons no contra-ataque.
- 20 - Diego [8] - Outro que ajudou a aterrorizar a defesa da casa no contra-ataque, continua a ser um médio criativo muito disponível a ajudar a equipa.
- 7 - Quaresma [8] - 1 golo - * - Melhor em campo apesar de ter tido que sair ao intervalo. Foi quem mais desequilibrou apesar de ter jogado menos tempo, e marcou um golo soberbo.
- 11 - Lisandro López [6] - 1 assistência - Exibição mais eforçada do que inspirada.
- 9 - McCarthy [6] - Idem. Incrível como falha o 3º golo quando estava em situação regular, mas não pode ser acusado de falta de empenho.

- 17 - Jorginho [7] - 1 golo - Difícil de avaliar. Marcou um golo depois de falhar outro de forma inacreditável, e já antes tinha desperdiçado um bom contra-ataque. No entanto ganhou faltas e esforçou-se sempre, e não se pode desvalorizar a importância do golo que marcou.
- 27 - Alan [6] - Velocidade e drible, mas sem grande resultado.
- 39 - Hugo Almeida [6] - Não jogou muito tempo, tendo tido um bom remate.

domingo, dezembro 18, 2005

FC Porto, 3 - Penafiel, 1

:: Cromo Repetido :: Golos Argentinos e... Mais Fraudes

O líder Porto recebia o último Penafiel, repetia novamente o 11, e começava a perder ao meio minuto de jogo com um remate de fora da área quase idêntico ao sofrido em Leiria na jornada anterior. Antes dos 20 minutos de jogo, a equipa da casa já tinha falhado um golo fácil (McCarthy) e enviado duas bolas aos ferros (McCarthy e Quaresma).

O Porto perdeu gás por volta da meia hora, mas acabou por marcar cerca do minuto 40 num amortecimento de McCarthy à entrada da área para remate rasteiro muito bem colocado de Lucho González. Passados poucos minutos, Quaresma recolhe uma bola perdida na área penafidelense, dribla até ao centro da área, e é rasteirado. Lucho converte o primeiro penalty da época do Porto para o mesmo lado do primeiro golo.

A ganhar ao intervalo, o Porto entrou tranquilo para o segundo tempo, perante um Penafiel que jogava com quatro laterais e quatro centrais espalhados pelo campo (o que não é uma crítica a quem é pequeno, porque apesar das frequentes lesões no primeiro tempo até nem fizeram anti-jogo por aí além). Por volta dos 10 minutos do segundo tempo, Quaresma em contra-ataque arranca um grande cruzamento rasteiro para concretização fácil do eficaz Lisandro López, que lhe dedicou o golo.

A partir daí saiu Quaresma para ser poupado, o Porto desacelerou e o Penafiel nada fez que incomodasse a defesa da equipa da casa. Vitória justa num jogo com mais história do que seria previsível.

Pouco antes, tive a sorte ou azar de ligar a televisão no momento em que se decidiu o jogo da Luz, em que o 5º classificado Benfica recebia o 2º, o Nacional. Aos 70 e tal minutos de jogo é marcada uma falta inexistente (nem canto deveria ser) junto à lateral da área do Nacional. Dessa falta resulta um primeiro cabeceamento em falta sobre o guarda-redes do Nacional, de cujo ressalto resultou o golo da vitória do Nacional. Koeman disse depois que o árbitro pode ter errado nesse lance mas não decidiu(!) o jogo. Sr. Vieira: fraude?

- 99 - Vítor Baía [6] - Quase nada para fazer, mas um golo sofrido em que estava desprotegido pela sua defesa.
- 3 - Ricardo Costa [6] - Não apoia muito o ataque, e embora tenha estado seguro nunca teve grande tarefa pela frente.
- 21 - César Peixoto [6] - Algumas distrações defensivas e menos inspiração do que o habitual a apoiar o ataque.
- 4 - Pedro Emanuel [6] - Regular, mas estava em melhor forma antes da lesão em Glasgow.
- 14 - Pepe [7] - Nada de extraordinário, mas continua a ser o defesa em melhor forma e até foi o que melhor apoiou o ataque.
- 18 - Paulo Assunção [8] - Continua em grande forma, a limpar a sua área de acção com tanta eficácia como distribui depois o jogo recuperado.
- 8 - Lucho González [8] - 2 golos - O médio argentino continua a ter toques de classe, e o golo que marcou para empatar o jogo tem muito mérito. Converteu bem o penalty e teve um jogo regular no restante.
- 20 - Diego [7] - Bom jogo do brasileiro em recuperação de forma, mas muito marcado e menos decisivo que em Leiria. O que este meio-campo tem de melhor é que quem amarra Quaresma leva com Diego, e neste caso quem amarrou também Diego levou com Lucho.
- 7 - Quaresma [8] - 2 assistências - * - Atirou uma bola à barra, ofereceu um golo que McCarthy falhou, ganhou um penalty (que conto como assistência), e ofereceu o terceiro a Lisandro com um grande passe -- mais uma série de toques de classe. Jogou pouco tempo, mas para mim foi mesmo assim o melhor em campo.
- 11 - Lisandro López [7] - 1 golo - Eficaz, trabalhador, e depois de passar despercebido durante grande parte do encontro surgiu novamente em crescendo no último quarto do jogo.
- 9 - McCarthy [6] - 1 assistência - Falhou um golo fácil, atirou outro à barra, e ainda falhou um terceiro de cabeça, mas assistiu o golo do empate e não trabalhou mal para a equipa. Precisa de definir o seu futuro.

- 17 - Jorginho [6] - Colocou bastante velocidade nas suas acções, mas não fez nada de extraordinário frente a um Penafiel acessível.
- 39 - Hugo Almeida [6] - Entrou numa fase em que o jogo estava já pouco competitivo.

quarta-feira, dezembro 14, 2005

Vieira e as Fraudes

:: Cromo Repeitdo :: Não Há Pachorra

Vieira, o moralizador do futebol. "Não pode haver fraudes no futebol", afirmou ontem. E qual é a fraude? Não, não se está a referir às arbitragens na caminhada (aos tropeções) do Benfica para o título do ano passado, nem sequer ao recente castigo protelado de Petit que evitou o jogo do Dragão e recebeu só um jogo para cumprir na Taça. Refere-se antes à não utilização por parte da U. Leiria de Maciel, atleta emprestado pelo FC Porto, no jogo frente ao seu clube de origem.

Com a atitude de quem se parece achar na crista da onda por ter passado uma fase de grupos da Liga dos Campeões (apesar de ser 5º no campeonato), Vieira ultimamente parece não saber estar calado. Foi o "quem vier morre" europeu (do qual voltaremos a falar lá para Fevereiro), e agora uma queixa(!) na Liga por causa da situação de Maciel -- que, de acordo com o treinador Jorge Jesus do Leiria, não jogou devido a um "acordo de cavalheiros" entre os presidentes dos clubes logo na altura do empréstimo.

Os regulamentos da liga dizem que cláusulas de proibição de utilização dos atletas emprestados nestas circunstâncias não são válidas. Tal cláusula não existe neste caso, mas apenas um acordo verbal que foi cumprido. O Leiria tinha todo o direito legal a usar Maciel, tal como o FC Porto tem todo o direito legal a não emprestar ninguém ao Lieiria na próxima época.

A situação acima é negativa, sem dúvida, mas não é nova nem exclusiva do FCP. Pior ainda, quando o jogador alinha mesmo contra o clube de origem, surgem dúvidas sobre a atitude do jogador em cada lance que disputa: foi insinuado há bem poucos anos que o guarda-redes Hilário teria favorecido o FCP numa situação semelhante.

Como nota, refira-se que ainda há duas jornadas atrás, o Gil Vicente utilizou frente ao FCP o central Marcos António, jogador sempre titular na equipa, e que se encontra na mesma situação de Maciel.

Para mim, os clubes não deviam poder emprestar mais do que (por exemplo) dois jogadores a clubes da mesma divisão, ou não deviam simplesmente poder emprestar jogadores a esses clubes. Querem fazer rodar atletas, coloquem-nos no estrangeiro ou em divisões secundárias. Da forma que as coisas estão, quem empresta tem poder para fazer o empréstimo que lhe convém, com ou sem cláusulas escritas -- e que raio de reclamação é esta que o Benfica entregou, afinal?

O FC Porto entregou recentemente uma queixa devido ao gesto de Nuno "Gomes" no jogo em Braga. Esta atitude veio na sequência de uma idêntica do Benfica na época passada, quando se queixou de um gesto de Costinha na celebração de um golo em Guimarães -- o que lhe valeu uma suspensão, portanto veremos o que acontece agora a Nuno "Gomes".

A conclusão desta nova queixa: Vieira está bem mais preocupado com o FC Porto do que quer dar a entender com as suas declarações vitoriosas.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

U. Leiria, 1 - FC Porto, 3

:: Cromo Repetido :: Resistentes

À partida para este jogo, apenas 3 dias após a dura batalha de Bratislava, Adriaanse escolheu o mesmo 11 para jogar de início -- algo que raramente fez esta época, mesmo em circunstâncias aparentemente mais favoráveis. Dir-se-ia um erro evidente, um atentado a toda a lógica; mas a realidade é que depois do que os jogadores sofreram em Bratislava (física e psicológicamente), mostraram-se em Leiria mais resistentes do que se poderia pensar.

Numa noite fria que lhes deve ter parecido primaveril em comparação, os 11 de Bratislava jogaram 88 minutos frente a um Leiria fresco, mas muito encolhido. O Porto atacava mais, sem grande perigo, até o Leiria chegar ao 1-0 na primeira situação que teve em jogo corrido: beneficiando de um ressalto, Fábio Felício viu-se com espaço em posição frontal à baliza de Baía e marcou com um remate colocado.

Por vezes as coisas correm bem, e se há jogos em que a bola parece ter pouca vontade de entrar na baliza adversária, este não foi um deles. O Porto empatou pouco depois, num cruzamento de César Peixoto que bate a primeira linha defensiva do Leiria e é empurrado para auto-golo por Laranjeiro, pressionado por Lisandro López. Um par de minutos mais tarde, o mesmo argentino beneficia de um cruzamento de Quaresma que ilude o guarda-redes Costinha para emendar oportunamente ao segundo poste. O Porto sobreviveu ao susto, reagiu e foi para o intervalo a ganhar.

O Leiria ameaçou apenas a espaços no segundo tempo, dispondo de uma boa situação num pontapé de canto, mas o Porto pareceu quase sempre controlar o encontro. Já em tempo de descontos, um contra-ataque resultou num golo fácil de um notável Diego a cruzamento (desviado) de Jorginho.

O Porto confirmava a vitória, e mostrava uma capacidade de reação à adversidade que raramente se tem visto nestas duas últimas épocas.

- 99 - Vítor Baía - [7] - Pouco podia fazer no golo, de resto teve uma exibição muito segura dentro do relativamente pouco trabalho que teve.
- 3 - Ricardo Costa [6] - Reteve o lugar de lateral direito, e depois de alguns bons lances no primeiro tempo apenas estragou com um lance precipitado em que foi duas vezes batido por Felício perto do fim. Mesmo assim, positivo.
- 21 - César Peixoto [6] - Menos influente do que em Bratislava, voltou a ser um apoio útil ao ataque, não tendo comprometido defensivamente perante um Leiria pouco ofensivo.
- 4 - Pedro Emanuel [6] - Não tem estado em grande forma, mas não esteve mal.
- 14 - Pepe [7] - O improvável Pepe continua a ser o defesa em melhor forma nesta altura.
- 18 - Paulo Assunção [8] - Outro notável trabalho de Assunção a meio campo, recuperando bolas jogáveis umas atás das outras.
- 8 - Lucho González [6] - Teve alguns bons apontamentos, mas foi pouco influente no jogo. Parece necessitar de algum descanso.
- 20 - Diego [8] - 1 golo - * - Só tinha feito 45 minutos em Bratislava, e na segunda parte pegou verdadeiramente no jogo com uma frescura e uma qualidade de passe assinaláveis. Parece estar a subir de forma, o que seria muito positivo para o FC Porto.
- 7 - Quaresma [7] - 1 assistência - Continua numa fase em que parece não saber jogar mal, mesmo que menos exuberante do que em jogos anteriores. Não se limita a fintas notáveis (como teve perto do fim do primeiro tempo), continuando a jogar tanto individualmente como para a equipa.
- 11 - Lisandro López [7] - 1 golo - Acredita sempre, luta sempre, parece limitado mas faz acontecer as coisas: deve o golo a essa crença na disputa dos lances.
- 9 - McCarthy [5] - Não falhou grandes situações, nem teve grande bola, mas a sua fraca participação fica a dever-se também a muito pouca inspiração. Mesmo assim mostrou disponibilidade para recuar e ajudar quando foi preciso.

- 17 - Jorginho [-] - 1 assistência - Pouco tempo em campo, somou uma assistência quase acidental num cruzamento que sofreu um desvio.
- 25 - Ivanildo [-] - Pouco tempo em campo.

sábado, dezembro 10, 2005

O que dizer do Sorteio para o Mundial?

Quem leu o meu anterior post sobre este assunto, saberá que não fiquei assim muito contente com o resultado. Para Portugal queria um grupo com o Brasil, por exemplo. Uma Argentina... Sorteio é sorteio e a Selecção portuguesa de futebol terá de lidar com isso. México, Angola e Irão são os adversários da fase de grupos. Todos poderão causar problemas, todos poderão ser vencidos, se não subestimados. Força Portugal!

Sporting, 0 - Estrela da Amadora, 1

A equipa esforça-se, mas parece-me que este ano não existem as condições necessárias para lutar pelas competições em que o Sporting está envolvido. Resta aprender com os erros e, executar o que é necessário, para que no próximo ano tudo seja diferente...

sexta-feira, dezembro 09, 2005

Antevisão do Sporting - Estrela da Amadora

Mais um jogo que o Sporting tem para vencer. Mais uma final rumo ao título! Apesar do 5º lugar que ocupa actualmente, qualquer das equipas que se encontra na sua frente, está perfeitamente ao alcance do Sporting. Força Sporting!

Hoje temos o sorteio para o Mundial!

Venha um grupo bem difícil para Portugal!

Do pote 1, quero Alemanha, Brasil ou Argentina!

Do pote 2, quero a Austrália ou o Paraguai!

Do pote 4, quero a Coreia do Sul ou os Estados Unidos!

Se queremos uma boa participação, é melhor que comecemos bem concentrados desde o início e claro, a eliminar os melhores, quanto antes! Além disso, se pensarmos bem, mais vale começarmos a jogar a pontos com equipas grandes, do que depois apanhá-las em jogos a eliminar!

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Benfica, 2 - Manchester United, 1

É verdade que há já uns anos que o Manchester se encontra enfraquecido e longe dos níveis de outros tempos, mas também o Benfica não tem a força doutros tempos e, ainda por cima, tinha uma equipa bastante condicionada por problemas de ordem física. O que interessa é o resultado. Este, foi 2-1 favorável à equipa portuguesa. Este, determinou a eliminação do Manchester United. Parabéns ao Benfica!

quarta-feira, dezembro 07, 2005

S.L. Benfica - Manchester United

oi oi oi pessoal....

Eu acho que vai ser 15 a zero para o Benfica 15 a zero...

Para quem não sabe Sport Lesões e Benfica vai contar com o apoio de Moreira, Manuel Fernandes, Karagounis, Simão e Miccoli, na bancada claro =).

Vão estar apenas 65 mil adeptos para ver o Benfica =)

Mas vai ser complicado, com quem é que vamos jogar mesmo? hehehe Um abraço e FaIrPlAy


15 a zero para o Benfica

Artmedia, 0 - FC Porto, 0

:: Cromo Repetido :: Naufrágio no Lamaçal

Acabou muito cedo a Europa para o FC Porto, num grupo onde nada o fazia prever.

Se a Liga dos Campeões já era história (acertei facilmente no resultado do outro jogo com uma previsão feita há 15 dias), o objectivo era a UEFA. Em terreno impraticável, o FC Porto nunca esteve perto de vencer e conseguir esse objectivo -- esteve aliás mais perto de perder.

Primeiro, duas notas para a UEFA. Uma vez mais, várias equipas se podem queixar nesta última jornada de terem adversários a jogarem contra as reservas do 1º classificado do grupo, normalmente já apurado. Para o Porto e o Artmedia, que dependiam desse jogo, é injusto que os Rangers tenham feito um jogo contra o Inter e outro contra o "Inter B", e o mesmo se passou noutros grupos. Por favor, voltem a uma estrutura de taça simples e reduzam o número de equipas.

A segunda nota é simples: como é possível uma equipa que participa na Liga dos Campeões, e que teve de arranjar estádio emprestado, mesmo assim apresentar aquilo como terreno de jogo?

Não vale a pena o chavão do terreno ser igual para as duas equipas: um lamaçal daqueles serve em primeiro lugar para igualar circunstâncias, anulando quaisquer vantagens derivadas da qualidade técnica dos jogadores.

Tendo dito isto, não serve de desculpa para o resultado ou a exibição. Tenho defendido quase sempre Adriaanse até aqui, mas ontem cometeu demasiados erros. Jogadores lentos de início (sobretudo Lucho), tecnicistas que nada podiam fazer (Diego fez mais a defender do que a atacar, até Quaresma foi nulo), e más substituições (Diego por Almeida ao intervalo fez a equipa perder o meio-campo e ficar sem posse de bola, enquanto Emanuel por Bosingwa a lateral esquerdo com adiantamento de Peixoto é quase estranho demais para ser verdade... e Lucho sempre em campo).

O Porto deveria ter, na minha opinião, jogado com Almeida no lugar de McCarthy, Cech de início em vez de Diego (com Peixoto na ala esquerda do meio-campo), Bosingwa no lugar de Lucho... e apostar em bolas longas.

Houve pouco quem não se esforçasse, mas a maior parte da equipa podia ter sido trocada por outros jogadores anónimos quaisquer. Tivesse o Porto jogado com Baía na baliza, cinco Pepes a defender e cinco Assunções a atacar, a vitória não escapava. Assim, 0-0; e parabéns ao Artmedia, que trabalhou imenso e esteve mais perto de ganhar.

"Dia de Benfica na Europa"

Se o Porto não conseguiu, o que esperar do Benfica?

Afastados tão cedo...

Raras vezes a "Europa" acaba tão cedo para os Dragões. Estamos no início de Dezembro e já nem Liga dos Campeões, nem Taça UEFA. O Porto sai de cena sem glória. Algo vai mal na cidade Invicta...

segunda-feira, dezembro 05, 2005

Braga, 0 - Vitória, 1

Frente ao Braga que todos conhecemos, o Vitória continua a provar a tudo e todos que nas margens do rio Sado, habitam futebolistas com valor e astúcia para derrubar equipas com melhores condições. O Vitória encontra-se no 3º lugar, a 2 pontos do líder. Na próxima jornada defrontará, no seu terreno, o Belenenses. Nesse jogo exige-se casa cheia no Estádio do Bonfim. A população de Setúbal tem motivos para ter orgulho neste histórico clube! Está na hora de transmitir a cada jogador deste plantel, que os seus adeptos estão com eles.

FC Porto, 1 - Sporting, 1

:: Cromo Repetido :: Não Basta Merecer

De um lado um FC Porto com boas intenções (mas a quem na parte final o empate não pareceu um resultado assim tão mau), do outro um Sporting eficaz (mas desprovido de ambição). No meio, o Lucílio do costume.

O FC Porto apresentou McCarthy surpreendentemente de início, ocupando o lugar de Ibson no 11 inicial, e trocou Bosingwa por Ricardo Costa na lateral direita. O Sporting, limitado pelo castigo a Liedson e pela lesão de Douala, povoou o meio-campo, encarregando o talentoso Moutinho de ajudar o medíocre Rogério a marcar Quaresma em lugar de construir ataque.

Com uma mão-cheia de oportunidades falhadas na primeira meia-hora (sobretudo uma em contra-ataque de Jorginho, em que este opta pelo remate em vez de um passe simples e mortal para Lisandro), o FC Porto acabou o primeiro tempo a permitir ao Sporting equilibrar o jogo. Os leões tiveram dificuldade tanto em criar jogo como acertar as marcações até essa altura, mas pelo meio tiveram um golo (bem) anulado em contra-ataque.

A abrir o segundo tempo, mau passe inadmissível de Pepe muito bem aproveitado de primeira por Carlos Martins para isolar Deivid, que fez o 0-1 com facilidade. O futebol também consiste em não errar, e em aproveitar os erros do adversário; foi o que o Sporting fez, e sem que o justificasse encontrou-se a vencer.

O Porto reagiu bem, a ponto de Adriaanse não ter mexido na equipa. Lucílio anulou um golo a Lisandro (a ser falta, então ficaram pelo menos dois penalties por marcar na área do Sporting por contactos idênticos) e o seu assistente não quis ver um corte evidente de Polga com o braço dentro da área. A custo, o Porto acabou por marcar num lance de sorte (golo creditado a Jorginho, mas parece-me mais auto-golo de Polga).

Até final, ficou a ideia que Adriaanse não estava disposto a arriscar muito, e o resultado não sofreu alterações apesar de um relativo ascendente do FC Porto. Ficaram ainda queixas sportinguistas por mão na bola de César Peixoto na área, num remate inofensivo que se dirigia para a linha de fundo -- não me parece que as queixas sejam justificadas, até por não ficar provado que haja contacto com o braço.

Um resultado mais positivo para o Sporting do que para o FC Porto, mas que deixa o Porto isolado no primeiro lugar devido às derrotas do Nacional e do Braga.

- 99 - Vítor Baía [6] - Praticamente sem trabalho, e sem hipótese no lance do golo.
- 3 - Ricardo Costa [7] - Exibição positiva, com alguns bons cortes, e permitindo a subida de César Peixoto no outro flanco ao juntar-se à dupla de centrais quando em posse de bola.
- 21 - César Peixoto [7] - Apoiou muito bem o ataque no flanco esquerdo com Quaresma, aproveitando a presença de Ricardo Costa como referido.
- 14 - Pepe [5] - Estragou uma boa exibição com um passe que até um júnior sabe que não se pode fazer, oferecendo o golo ao Sporting.
- 4 - Pedro Emanuel [6] - Cumpriu.
- 18 - Paulo Assunção [8] - Muito bem a recuperar a bola e a tratá-la depois, não demorando mais do que o necessário a soltar mas também não soltando de forma precipitada.
- 8 - Lucho González [8] - * - Em nítida subida de forma, começam a sair-lhe bem melhor as coisas, e foi o centro de toda a equipa.
- 17 - Jorginho [6] - 1 golo - Jogou como número 10, no lugar "de" Diego, tendo marcado o golo com sorte e falhado mais do que acertado. Foi assobiado ao ser substituído, o que é uma péssima atitude por parte do público.
- 7 - Quaresma [8] - Foi uma vez mais o desequilibrador, mas desta vez sem resultados práticos. Em todo o caso, conseguir esta exibição com dois jogadores em permanência a marcá-lo mostra a qualidade actual do jogador.
- 11 - Lisandro López [7] - Teve um golo anulado de forma duvidosa, trabalhou muito e criou alguns bons lances.
- 9 - McCarthy [6] - Não esteve propriamente mal, mas nunca esteve perto de ter grande impacto no jogo.

- 20 - Diego [-] - Pouco tempo em campo.
- 39 - Hugo Almeida [-] - Idem.

domingo, dezembro 04, 2005

Marítimo, 0 - Benfica, 1

E lá se conseguiram safar..

Belenenses, 1 - Nacional, 0

E aos pés do Belenenses, o Nacional "marcou passo"...

sábado, dezembro 03, 2005

FC Porto, 1 - Sporting CP, 1

Apesar de ter ficado a sensação que ambas as equipas podiam ter dado um pouco mais, nomeadamente o Sporting, depois de sofrer o empate, este foi um jogo relativamente bem disputado. Lances polémicos houveram, nomeadamente uma mão na grande área de cada uma das equipas. Quanto a mim, a única merecedora da marcação de grande penalidade, foi aquela que ocorreu na área do Porto, em que o jogador portista se estica para desviar a bola. A da área do Sporting era pouco visível e nem sequer me parece que intencional, tendo em conta a simultânea rotação do corpo do defesa. O Sporting começa a ganhar personalidade. Jamais tremeu perante o Porto e começa a mostrar algum estofo. Apesar disso, penso que o resultado acaba por se adequar ao que se passou no jogo. O campeonato está longe de estar decidido...

sexta-feira, dezembro 02, 2005

Antevisão do Marítimo - Benfica

Quatro pontos separam estas duas equipas. O Benfica é o actual sexto classificado, o marítimo é o nono. Jogo que me parece prometer muita luta, mas poucos golos. Vamos ver quem será o vencedor...

Antevisão do Belenenses - Nacional

O Nacional está na liderança. O Belenenses luta para fugir à "cauda" da classificação. Vamos ver como corre mais uma visita dos madeirenses ao "continente"...

Antevisão do Braga - Vitória

Outro dos grandes embates da Jornada 13. Sem dúvida, uma das jornadas mais interessantes disputadas esta época. O Braga tem a equipa que toda a gente já conhece. Jogadores de categoria, personalizados, com garra e vontade de ganhar. O Vitória tem de longe a melhor defesa do futebol português. Apenas 3 pontos separam estes dois grandes emblemas de Portugal. Mais um grande jogo a ter em atenção...

Antevisão do Porto - Sporting

É mesmo hoje o grande jogo da jornada 13 da Liga Nacional. Porto e Sporting defrontam-se no Estádio do Dragão. Quatro pontos separam os dois clubes. Porto é líder. Hoje vamos ter um bom teste ao "estofo" destas duas equipas. Adriaanse contra Bento. Duas equipas com claras dificuldades em se assumir como líderes do futebol em Portugal. A Cidade Invicta encontra-se sob mau tempo. O terreno de jogo sofre com isso. Hoje esperamos um jogo de guerreiros. Que vençam os melhores!